Plano Safra libera R$ 30 bilhões para financiar agricultura familiar  

Agricultores familiares receberão um crédito de R$30 bilhões dentro do Plano Safra 2017/2018. O programa foi lançado ontem pelo governo federal e os recursos estarão disponíveis para empréstimos a partir de julho, quando começa a nova safra 2017/2018.

O governo também manteve, para a próxima safra, a taxa de juros do plano anterior que variam de 2,5% a 5,5% ao ano. De acordo com os dados apresentados, a taxa mais baixa, de 2,5%, foi mantida para a produção de arroz, feijão, mandioca, leite, alho, tomate, cebola, batata, abacaxi, banana, açaí, laranja, hortaliças e também para a produção de alimentos orgânicos.

O plano safra para agricultura familiar também contempla um seguro-agrícola com proteção de 80% da renda bruta esperada. A cobertura de renda líquida, que era de R$ 20 mil no ano passado, passou para R$ 40 mil para lavouras permanentes e hortaliças; e para R$ 22 mil para as demais. Para o pagamento do seguro, foram disponibilizados R$ 10 bilhões para a safra 2017/2018.

O plano também liberou R$1,350 milhão de cotas de garantia para agricultores que sofrerem perdas de safra por causa da seca das regiões semiáridas.

Para o deputado Leonardo Quintão, pela primeira vez, o plano também prevê a atuação da Agência Nacional de Asistêmica Técnica e Extensão Rural (Anater) que traz um marco para a agricultura familiar, com a criação do Cadastro da Agricultura Familiar. “Cerca de 4,4 milhões de agricultores familiares serão beneficiados. Eles são responsáveis por 38% de toda produção bruta da agropecuária brasileira”. 60 mil famílias de 851 municípios de dez estados do semiárido também receberão assistência técnica com concessão de crédito especial para segurança hídrica.