Cheque Especial: bancos terão novas regras que estimulam o uso consciente para reduzir o custo do crédito.

Quando o assunto é dinheiro, mudanças que aliviam o bolso são bastante bem-vindas. As novas regras que passaram a orientar o Cheque Especial a partir de 1º de julho trazem boas novas para os consumidores. As mudanças partem do compromisso para que os bancos estimulem o uso consciente do crédito.

Pelas novas regras, os bancos deverão manter sempre disponível ao usuário uma alternativa de parcelamento do saldo devedor do Cheque Especial, em condições mais favoráveis.

Sempre que uma dívida no Cheque Especial superar 15% do limite, durante 30 dias, o banco vai automaticamente oferecer um outro produto de crédito com juros menores e pagamento parcelado para a quitação de tal dívida. Ou seja, clientes terão outras maneiras para evitar o acúmulo de dívidas do Cheque Especial.

Além disso, os bancos terão que orientar seus clientes sobre o uso adequado do produto. Por ser uma linha pré-aprovada, o Cheque Especial funciona como uma linha de crédito emergencial. O problema é que nem todo mundo usa esse produto de maneira consciente; e o que era para ser um salva-vidas pode se tornar uma “bola de neve”.

Agora, os bancos terão que diferenciar o limite de crédito do Cheque Especial. A partir de 1º de julho, o limite do Cheque Especial disponível passou a ser informado nos extratos de maneira clara e separada do restante dos saldos da conta do consumidor.

Outra mudança visa evitar a surpresa do consumidor ao descobrir que, sem perceber, “entrou” no Cheque Especial. Quando o cliente recorrer ao Cheque Especial, o banco deverá informá-lo imediatamente, por meio de um alerta, sobre a contratação do produto. Além de avisá-lo sobre o uso do produto, os bancos trarão ações educativas, com mensagens que orientem o uso correto desse tipo de crédito e conscientizem os consumidores de que ele deve ser utilizado de acordo com sua natureza: de forma emergencial e por um curto espaço de tempo.

O Cheque Especial mudou. E o objetivo é que a relação dele com as pessoas mude também. E para a melhor.