Cerol e Linha chilena matam: denuncie este crime.

Nos meses de férias escolares, o céu se enche de pipas. Essa brincadeira é antiga e comum, entretanto, atualmente a diversão tem sido em realizar confrontos entre elas, ou seja, o objetivo é “cortar” a pipa do outro. Daí vem as misturas cortantes, que atribuídas a linha faz a brincadeira virar crime.
O cerol, é o nome dado a uma mistura de cola, geralmente de madeira, com vidro moído ou pó de ferro, que é aplicado nas linhas que são utilizadas para erguer as pipas. E também a linha chilena, feita de quartzo moído e óxido de alumínio, chega a cortar quatro vezes mais do que a linha com cerol. Todas essas misturas atreladas a essa brincadeira pode matar, sendo um risco para pedestres, principalmente ciclistas e motociclistas.
O crime está previsto no artigo 132 do Código Penal, que pune com pena de três meses a um ano de prisão quem coloca a vida de outra pessoa em risco. A Lei 14.349, de julho de 2002, prevê multa de até R$ 1.500 para quem portar linha com cerol ou chilena.
As linhas cortantes representam perigo não somente para quem empina pipa, mas também para toda a população, resultando em ferimentos, choques, queimaduras e em mortes. Além de danos na rede elétrica, que deixam bairros inteiros sem energia.
Nas redes sociais e sites de compra, é comum encontrar à venda linhas com cerol e “chilena”. É preciso denunciar anunciantes e lojas online que faça a venda destes produtos ilegais. A denúncia pode ser através do próprio servidor, ou através do site de compra. Ou então ligue para a polícia de sua cidade. A campanha contra o uso dos cortantes começa este mês. Haja com consciência. Faça sua parte, denuncie.