Slide background
   

Programa ‘Bem Mais Simples’ que desburocratizar a vida das empresas

Home / Notícias / Economia / Programa ‘Bem Mais Simples’ que desburocratizar a vida das empresas

O ministro da Secretaria das Micro e Pequenas Empresas, Guilherme Afif Domingos, apresentou aos empresários mineiros durante o Seminário realizado ontem na Fecomércio, o programa ‘Bem Mais Simples’. O projeto prevê a abertura e a baixa de empresas por meio da internet, além de reduzir de 20 para sete as faixas de enquadramento das empresas de pequeno porte, que hoje representam 97% das instituições brasileiras.

No projeto, há ainda, o aumento do teto do Supersimples, para R$ 7,2 milhões para o comércio e para R$ 14,4 milhões para a indústria. Atualmente, o teto é R$ 3,6 milhões para os dois setores. De acordo com o ministro o empresário brasileiro tem sofrido com a alta carga tributária e a burocracia existente no país. Em sua apresentação, criticou o tempo de abertura de uma empresa no Brasil, em média 102 dias, enquanto, países como Estados Unidos e Portugal, esse tempo chega a 4 e 2,5, respectivamente.

Ele também apresentou um estudo encomendado pela secretaria, e feito por quatro instituições (FGV, Fundação Dom Cabral, Fipe e USP),onde mostra que as micro e pequena empresas, com faturamento até R$ 3,6 milhões, representam 95,3% das empresas brasileiras e 14,5% do faturamento nacional.

Cerca de 85% das empresas optantes pelo Simples estão, atualmente, nas primeiras três faixas, que prevê faturamento menor. “Isso mostra o receio das empresas em crescer para não sofrer um grande impacto tributário. O que se vê hoje são empresários caranguejos, àqueles que crescem para o lado. Para não ter que subir de faixa e complicar a administração da empresa, eles acabam abrindo empresas em nome de parentes e fraudando o Fisco”, alertou. Ao sair do Supersimples, a carga tributária aumenta 54% para o comércio, 40% para a indústria e 35% para as empresas de serviços.

O seminário foi organizado pelo deputado federal Leonardo Quintão, coordenador da Frente Parlamentar das Micro e Pequenas Empresas em Minas Gerais. O evento, também contou com a presença do deputado federal João Arruda, relator da matéria, que acolheu sugestões de empresários e representantes de diversas entidades presentes.  Belo Horizonte foi a 2° capital do país a receber o Seminário que ao todo será realizado 11 estados brasileiros.

O deputado Leonardo Quintão convocou o empresariado mineiro a se organizar e cobrar a votação deste projeto em Brasília. “Vocês precisam se organizar e pressionar o Congresso Nacional, pois a votação deste projeto irá aumentar o faturamento das empresas e acabar com essas jogadas contábeis que muitos fazem para manter-se vivo no mercado. Neste momento em que as grandes empresas têm demitido quem está segurando a ‘peteca’ deste país são os pequenos empresários. Minas é a terceira economia do país, e precisamos da aprovação deste projeto”, explicou o deputado.

O projeto tramita na Câmara dos Deputados em regime de urgência desde o fim de fevereiro, e a expectativa é de que seja aprovado em plenário no final de junho.

 

 

Posts Recomendados
Fale Conosco

Dúvidas ou informações? Envie uma mensagem aqui e responderemos o mais breve!