Slide background
   

Homicídio de líder religioso poderá configurar crime hediondo e qualificado

Home / Notícias / Homicídio de líder religioso poderá configurar crime hediondo e qualificado

O assassinato de líderes religiosos, motivado pela atuação dos mesmos em igrejas, cultos e templos, poderá ser enquadrado como um crime hediondo e qualificado, de acordo com o Projeto de Lei 4879/16. Pela legislação brasileira, o homicídio qualificado tem uma pena mais grave que o simples, enquanto o hediondo determina regras mais rígidas para o criminoso.

O projeto será analisado na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, a CCJ, e somente se for aprovado irá para votação no Plenário da Câmara dos Deputados.

Leonardo Quintão, deputado federal que luta pela liberdade religiosa há mais de três anos e é um dos quatro líderes mundiais do IPPFoRB (Painel Internacional de Parlamentares para Liberdade Religiosa ou de Crença), apoia a causa. “Será mais um mecanismo para a defesa da liberdade religiosa no Brasil. Acredito que a proposta contribui para o aumento da segurança nas igrejas e templos e ajudará a proteger pastores e padres que atuam muito próximos das pessoas no país. Além do grande papel que igreja tem na vida dos indivíduos, ela também cumpre um papel social importantíssimo”, analisou Quintão.

 

Posts Recomendados
Fale Conosco

Dúvidas ou informações? Envie uma mensagem aqui e responderemos o mais breve!